Retweet: Morar no Japão é...

postado por Natinha

Oiii
Olhando os blogs q acompanho, vi um post suuuuper legal no Nihongo Narae! Fala sobre algumas curiosidades do Japão e suas diferenças que no Brasil passam por despercebido, mas qdo a gente toma o "choque" de estar em outro país esses detalhes fazem toda a diferença.

Na semana passada fez 1 mês que estou aqui e ja concordo com varios itens que ele colocou na lista!
Os que estão em negrito são os que eu ja vivencei... rs*

Vamos a lista?

1. Sempre ter uma loja de conveniência por perto; às vezes, mais que uma em um quarteirão.

2. Poder andar com seu salário do mês na carteira sem se preocupar com assalto.
3. Poder sacar dinheiro em lojas de conveniência, sem precisar pagar uma taxa abusiva por isso.
4. Ter que conviver com uma amplitude térmica de até 50ºC entre o inverno e verão.
5. Ver meninas indo para a escola de saia, sob um frio abaixo de zero.
6. Ficar impressionado com a facilidade que os nativos têm para dormir nos trens (alguns até de pé).
7. Ficar impressionado com o hábito de leitura do povo (até mesmo em trens superlotados em que mal dá pra se mexer).
8. Ver muitas pessoas usando máscaras na rua, pelo simples fato de estarem gripadas (no Brasil, nem com a gripe h1n1 existe esse costume).
9. Cumprimentar as pessoas a um metro de distância, abaixando levemente a cabeça, junto com um aceno.
10. Entrar em uma loja para comprar uma caneta e ter centenas de opções de cores, tipos e preços.
11. Saber na prática o que é deflação.
12. Ter a impressão de que tudo que podia ser inventado já foi inventado.
13. Se acostumar com sites de lojas virtuais ultra poluídos, visualmente.
14. Entrar em uma loja de eletrônicos e escutar 『いらっしゃいませ~!』 mais de 10 vezes no intervalo de 2 minutos. (a 1ª vez é assustadora.)
15. Dificilmente ver algum motorista fazendo curva sem dar seta.
16. Esperar pelo semáforo de pedestres abrir, mesmo que a rua esteja deserta.
17. Correr para pegar o semáforo de pedestres aberto.
18. Poder confiar na tabela de horário dos trens/metrôs.
19. Correr desesperadamente para não perder o último trem/metrô do dia.
20. Poder contar com policiais arrumados, educados e até gentis para pedir informações.
21. Desconhecer as "profissões" que no Brasil são conhecidas como flanelinha e camelô.
22. Esquecer o significado da palavra pirataria.
23. Ver notícias bizarras do tipo "Policial é preso por roubar roupas íntimas femininas de um varal..."
24. Dificilmente ver pessoas obesas.
25. Poder comer doces que não são exageradamente doces.
26. Sempre ter uma vending machine de bebidas por perto.
27. Ser agradecido pelo motorista, ao descer do ônibus.
28. Não encontrar latas de lixo pela cidade, e ainda assim ela ser muito limpa.
29. Conviver com tufões, tsunamis, terremotos, vulcões...
30. Ter que se contentar com praias limpas, mas muito feias (com exceção de Okinawa).
31. Poder beber água diretamente da torneira, e descobrir que ela é melhor que algumas águas minerais engarrafadas.
32. Pagar o equivalente a R$6,00 em uma maçã, R$40 em uma manga, R$115 em uma caixa com 6 pêssegos, R$3 em um limão etc.
33. Ver crianças 7 anos de idade pegando trem, desacompanhadas.
34. Quase esquecer do gosto de carne bovina.
35. Ter que suportar um verão altamente úmido e com temperaturas de até quase 40ºC.
36. Não conseguir encontrar alguém sem celular (até os mendigos têm).
37. Ver um mendigo na rua e achar o cúmulo do absurdo.
38. Poder confiar na previsão do tempo.
39. Escutar 『へぇ~!』 muitas e muitas vezes nos programas de tv (a ponto de irritar, eu diria).
40. Receber ¥1 (o equivalente a um centavo) como troco.
41. Nunca ouvir falar "Ih, moço, não tenho troco...", mesmo usando uma nota de ¥10000 para comprar algo de ¥50.
42. Ver muitas pessoas engravatadas indo trabalhar aos domingos.
43. Ver estudantes de ensino médio indo para a escola aos domingos.
44. Entrar numa livraria e ver um corredor de pessoas lendo em pé, horas a fio.
45. Ficar pasmo com a quantidade de livros, revistas, mangá etc. de qualquer livraria.
46. Ser considerado estranho ao comer lámen, udon ou soba sem fazer barulho.
47. Ir a um restaurante de rodízio, em que se pode comer e/ou beber à vontade... Mas com o limite de 2 horas.
48. Não duvidar dos próprios olhos ao cruzar com uma moça usando saia rosa sobre calça jeans.
49. Ver homens usando sandália Crock rosa-shock.
50. Dificilmente ver pessoas usando óculos escuros.
51. Entender por que ir ao dentista regularmente é importante.
52. Acabar comprando pasta de dente salgada, por engano.
53. Entender o verdadeiro significado da palavra consumismo.
54. Encarar os domingos como dia de fazer compras e passear, e não como um dia mórbido para ficar em casa sem ter o que fazer.
55. Não conseguir entender o porquê de tanto fascínio pelo Pachinko, o caça níquel japonês.
56. Ver um presidente que foi eleito com popularidade recorde deixar o cargo em 8 meses.
57. Se dar conta de que o palavrão mais feio usado no dia-a-dia é aquele que equivale a "M****!" em português.
58. Achar comum os chamados salary-man saindo de táxis completamente tortos e vermelhos de tanto beber.
59. Não escutar piadinhas com conotações sexuais.
60. Ter que fazer um esforço danado pra entender pessoas falando (ou tentando falar) em inglês.
61. Sempre, sempre, sempre ser tratado como cliente, e não como "parceiro", "bróder", "chefia", "patrão", "véio" etc.
62. Achar todas as crianças pequenas muito bonitinhas (porque são mesmo).
63. Ao comprar um doce em uma confeitaria, receber um pequeno saquinho plástico contendo um papel umedecido para limpar as mãos.
64. Ficar admirado com o grau de realismo das "comidas de plástico" expostas nos restaurantes.
65. Ir a um restaurante e comprar o bilhete do seu pedido através de uma máquina, que muitas vezes fica fora do estabelecimento.
66. Não ouvir coisas do tipo "Agradeça a Deus por..." sem a pessoa saber se você acredita nisso.
67. Ir a uma boate e quase não ver pessoas "se pegando".
68. Ver casais que, supostamente, já estão no terceiro encontro, mas que ainda sequer andam de mãos dadas.
69. Ficar pasmo com a habilidade que os motoristas têm para estacionar os carros em vagas apertadíssimas.
70. Sentir na pele o efeito da alta densidade demográfica.
71. Poder abastecer o carro com gasolina 100% (sem os 60% de álcool que vemos em alguns postos brasileiros), ainda que o petróleo seja praticamente 100% importado.
72. Se dar conta de que Car Navigation não é coisa de outro planeta (de outro mundo, talvez).
73. Pagar mais de ¥32000 (o equivalente a uns R$600) mensais por uma vaga de estacionamento.
74. Ser considerado pobre por ganhar menos de U$22.000 anuais.
75. Notar que as pessoas abrem o guarda-chuva mesmo com uma garoa quase imperceptível.
76. Poder receber e enviar e-mails de graça do celular, mesmo sem ter contratado um plano mensal de 300 minutos e R$200 mensais.
77. Perceber que muitas vezes o caixa de um restaurante, por exemplo, fica sem ninguém cuidando; isto porque a pessoa responsável, muitas vezes, tem mais de uma função.
78. Perceber que os refrigerantes são, de fato, adaptados para cada país (a Fanta Uva, por exemplo, é tragável!)
79. Pagar o equivalente a U$30 numa garrafa de Johnny Walker Black, com a certeza de que não é adulterado.
80. Olhar para o iPhone como um produto qualquer, não como uma jóia.
81. Descobrir que, se tratando de sushi, o salmão não é um peixe tão nobre, pois o rei soberano é o atum.
82. Ver as pessoas obedecendo as leis anti-fumo, aglomeradas nos fumódromos no meio da calçada.
83. Descobrir que é possível um banheiro público masculino ser limpo.
84. Ver muitas bolsas Louis Vuitton na rua sabendo que não são "cópias legítimas".
85. Poder ter um negócio 24 horas sem nunca ter sido assaltado.
86. Poder comprar um video-game em 24 parcelas, praticamente sem juros.
87. Pagar o equivalente a U$20 para assistir a um filme no cinema.
88. Descobrir que, no cinema, muitas pessoas ficam sentadas até o término dos créditos finais do filme, no escuro.
89. Comer em mini-restaurantes que só têm balcão, e nenhuma cadeira.
90. Nos restaurantes, receber uma toalhinha umedecida e quente, para limpar as mãos.
91. Poder entrar nas lojas fantasiado de Stormtrooper, sem ser confundido com um assaltante.
92. Quase não precisar enfrentar filas gigantes em super-mercados.
93. Descobrir que até presidentes de determinadas empresas de grande porte vão ao trabalho de transporte público.
94. Poder desfrutar de fogos de artifícios muito bonitos, mas só no verão.
95. Ter postos de saúde limpos, conservados e eficientes.
96. Poder comprar um carro de super-luxo mesmo não sendo milionário.
97. Não desperdiçar quantidades absurdas de tempo e combustível em engarramentos, graças aos carros híbridos e ao transporte público eficiente.
98. Andar de escadas e esteiras-rolante falantes.
99. Ter um acervo gigantesco e bem conservado nas bibliotecas públicas.
100. Jamais, em hipótese alguma, ter o vidro do carro quebrado e o estepe roubado.


E eu completo com mais uma:

101. Perceber que a maioria das casas não existem aquelas muralhas e portões automaticos em volta e nem na garagem.

Bom, é isso ai, 1 mês no Japão... por um lado eu to adorando tudo, mas por outro, as vzs a saudade apeeerta que doi o
Mas quem disse que o caminho certo é o mais facil?

Bom fds!

Beijos beijos


3 comentário:

  1. isso não tem jeito, sempre dá saudades rs. mas a sabedoria é aproveitar o que aqui tem de bom. vc não vai viver aqui pra sempre mesmo, então viva bem aqui, extraia o que o país pode te oferecer de melhor!

    eh isso ai
    bom fds!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Ale...aproveita,estuda e conheça pq tem muita coisa linda e bacana pra se ver,se conhecer e aprender com esses Japoneses tbém.
    Bjokas fofura.

    ResponderExcluir
  3. pARECE SER DEMAIS!

    Toda experiencia nova é bom para crescimento!

    To mega orgulhosa de vc! e se sentir saudade me escreve... sei lá!

    saudades... e te acompanhando de longe tah!

    bjus

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e pelo comentário! Volte sempre!!

=)

Beijokas *‿*

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...